quarta-feira, 30 de março de 2011

3 Odes Para Um Urso

Um pouco de poesia para deixar os ânimos mais descansados.
O poema abaixo foi escrito por um cub que mora no Canadá com um ursinho.

para ver o blog
do autor  
Três Odes para um Urso
por Antonio Sousa

I
Urso, quantas palavras já não me disse 
Pela insensatez do meu ouvido 
E que recobra sem sentidos 
O prazer de noites outras? 
Quantas palavras tua boca, 
Essa e muitas outras, 
Já não sopraram cabeça a dentro 
Como s'eu fosse mar pra tua vela? 
Quantos desejos de donzela 
Já não gritou bem baixinho 
Entre meu corpo e seu caminho 
Sem deixar rastro 
Sem deixar rasgo 
Sem deixar risco 
Quantos olhares? Quantos sopros? 
Quantos beijos eu não te quis? 
Quantas noites e quantas gozadas 
Em quantas trepadas eu te trai? 
Dessa tua boca, desses teus pêlos, 
desse teu cheiro eu nunca esqueci. 
Até me esqueço, até te esqueço 
Mas desse teu peito, que é de setim 
é nesse peito que eu deito e ronco. 



II
Urso, que foges de mim
Porque foges, urso?
O que queres? Que eu fosse virgem?
Que eu seja puta?
Na sua cama sou mais que uma
Sou até seu e de seu amigo
Sou seu escravo e sofro tranquilo
Te lavo e passo
Se você pede, sou até mulher
Levanto quieto e não te acordo
Te deixo e saio
Pois sou assim:
Um dia d'um, um dia d'outro,
Mas se tu pedes aqui me fico,
Contigo caso
- Mas não assim.


III
Urso, quantas palavras te disse, urso?
Quantas palavras de insensatez?
Embriagado de suor e vinho
Ou noites pardas de chão carmim
Na tua casa, ou de ressaca,
No que te disse não te enganei
- Te quero sim
E a muitos outros
O mundo é pouco! Me aceite assim:
- Você e eu e ele e outro
Pois tua cama é tamanho Queen! 


Muito bom o poema. Excitante. 
Nos comentários tem mais sobre o autor e o poema.


para ver o blog
do autor

3 comentários:

Oi q tc? disse...

O Chaser autor dos poemas estudou na UFPR no mesmo curso que eu. As histórias que se contam sobre ele são verdadeiros contos eróticos, hoje ele mora no Cánada.
Não tive o prazer nem o desprazer de conhecê-lo, mas quando ainda não sabia o que era "urso", li esse poema e nunca mais esqueci dele, logo que voltei a ter contato com o Beto pedí o poema ele concedeu.

Jovem Urso disse...

Adorei o poema! Ursino e sensível, ^^

Bjo e abraço, o/~

Depois dá uma passada no meu blog, x)

Anônimo disse...

adorei